MVM no TOP

https://i2.wp.com/petapixel.com/assets/uploads/2014/08/FanHo-LongTimeNoSee1963-AHKM.jpg
Por Fan Ho

Mais um título enigmático. Eu traduzo: depois de uma breve troca epistolar – melhor dito, ciber-epistolar, porque hoje em dia as epístolas são escritas, remetidas e lidas via e-mail –, Michael C. Johnston, americano de ascendência escocesa e autor do blogue The Online Photographer, quis usar umas linhas escritas por mim numa dessas mensagens num texto para aquele blogue, amiúde denominado pelo acrónimo «TOP». As ditas linhas eram sobre Fan Ho, que, como sabem, morreu no domingo, dia 19. Evidentemente, concordei. Não sem alguma vaidade, devo desde já dizer, mas sempre com a consciência de que estava a homenagear alguém cuja obra contemplo do alto da minha insignificância. O resultado foi o texto do blogue com data de 27 de Junho de 2016, publicado sob o meu nome.

O The Online Photographer é, possivelmente, o melhor e mais interessante blogue de fotografia existente. O seu autor, Michael C. Johnston – ou «Mike», como gosta que se lhe refiram –, é uma pessoa encantadora: extremamente cultivado – foi professor e autor de artigos em revistas e websites de fotografia –, invariavelmente educado e cavalheiro, Mike Johnston parece ter um conhecimento infinito sobre fotografia, o qual não se confina ao equipamento: há cerca de um ano surpreendeu-me com um texto em que se referia a Bernd e Hilla Becher, que mesmo aqui na Europa são fotógrafos relativamente desconhecidos. Mike é um teórico da fotografia, mas também um prático, unindo teoria e prática de uma maneira que só os anglo-americanos muito bons sabem fazer.

O The Online Photographer é também um espaço de paz e convivência frequentado por analoguistas e digitalistas, por utilizadores de DSLRs e de câmaras mirrorless, por adeptos do iPhone e por indefectíveis de câmaras exclusivamente afectas à fotografia. Todos têm voz, desde que – o que é interessante – não se envolvam em polémicas ad hominem e não queiram iniciar as discussões intermináveis e estéreis a que chamam threads.

Quanto aos conteúdos, o TOP é tão diversificado que se torna interessante pela simples variedade de temas abordados. Nele podem ler-se testes de equipamento e artigos de fundo sobre técnicas fotográficas, mas também textos ensaísticos sobre a obra de grandes fotógrafos, bem como textos sobre assuntos que nada têm que ver com fotografia. Na última semana o «Brexit» (como eu gostava de poder esquartejar a criatura que inventou este termo!) dominou os textos e comentários do TOP, mas por vezes aparecem textos sobre automóveis, jogging, bilhar, café e dietas.

Sinto uma afinidade muito grande com as ideias de Mike Johnston. Embora não concorde com todas as suas opiniões – ele é um digitalista, eu já só exponho rolos –, há alguns gostos e ideias que comungamos: a fotografia, evidentemente, mas também automóveis e alta fidelidade (que já foi um dos meus hobbies). E temos uma convergência substancial no que respeita a opiniões políticas. Deste modo, o que há no TOP de que eu não possa gostar?

Os textos de Mike Johnston são, invariavelmente, eruditos e imbuídos de uma autoridade que não é imposta, mas advém naturalmente das suas palavras e ideias. Acima de tudo, o TOP é o blogue de alguém que vive a fotografia em todas as suas vertentes. Esta conjugação de experiência e conhecimento teórico, enformados por sensatez e racionalidade, torna o The Online Photographer numa referência mundial.

O que é interessante no TOP é que o seu autor não se arroga o estatuto de autoridade da fotografia. Pelo contrário, gosta de deixar que outros participem no blogue, mesmo se exprimem opiniões diferentes. E esta participação não se cinge ao espaço de comentários: por vezes os textos são escritos por autores convidados. Como foi o caso das linhas (escassas) que escrevi sobre Fan Ho, as quais foram consideradas de valor suficiente para serem publicadas sob a forma de texto. Naturalmente, estou grato a Mike Johnston – mas, no caso das fotografias de Fan Ho, estou-o também a Paulo Moreira, um dos mais profícuos cultores da fotografia analógica, que me deu a descobrir um acervo de fotografias que nunca pararei de admirar.

M. V. M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s