Crónica de fim-de-semana, parte 2

Img - 004

A propósito da Color Run, a que aludi incidentalmente no texto de ontem, devo dizer que houve um tempo em que me sentia quase obrigado a fotografar certos eventos públicos: manifestações, comícios, eventos artísticos e outras aglomerações de gente. Isto foi mais ou menos natural porque estes acontecimentos providenciam um manancial imenso de motivos fotográficos – é um pouco como pescar à linha num viveiro – e, sobretudo, porque uma das minhas mais poderosas influências fotográficas é o fotojornalismo. A maior parte das imagens que tenho na minha base de dados mental de fotografia provém de fotografias de reportagem. Isto deve-se a diversos factores, desde o facto de ler jornais desde muito novo até à excelente qualidade de muitos fotojornalistas. Pelo menos daqueles que não fotografam preguiçosamente, apenas para ilustrar um facto com uma imagem.

O facto de ver e apreciar fotografias de gente como Paulo Pimenta, Adriano Miranda, Enric Vives-Rubio e muitos outros fez com que, intuitivamente ou não, procurasse fazer o mesmo que eles, tratando acontecimentos do quotidiano através de perspectivas e composições diferentes do que seria previsível. O que foi, a meu ver, um duplo erro em que incorri. Por um lado, estava a aderir a um género de fotografia para o qual não tenho a motivação, o equipamento ou a pertinência. Fazer fotojornalismo é fantástico quando se é fotojornalista, o que não é – e certamente nunca vai ser – o meu caso. Por outro, estava a imitar o que outros fizeram. Ou melhor (e desenvolvendo um pouco): uma das razões por que quero ter uma base de dados mental de fotografias o mais ampla possível é não incorrer em imitações; é fazer diferente do que conheço. Ora, brincar aos fotojornalistas é exactamente o oposto do que quero, que é desenvolver uma linguagem fotográfica e um estilo que sejam só meus. Isto é difícil numa época em que tudo já foi fotografado, mas eu insisto obstinadamente nesta via.

Acresce que já há muita gente a fotografar eventos públicos e que estas Color Run já se tornaram cliché. Nem quero imaginar quantos milhões de fotografias foram feitos no Sábado graças à Color Run, com pessoas no meio de nuvens de cor (pobres lentes: se esses fotógrafos vissem, como eu vi, o estado em que ficou o asfalto…) e montes de retratos de gente com a cara pintada de várias cores. Dispenso.

Por tudo isto, só não posso dizer que a Color Run me deixou completamente indiferente porque me fez perder meia hora da minha vida em engarrafamentos monstruosos, o que me causou uma certa dose de irritação. Não me apeteceu fotografar aquilo; mesmo que tivesse meios de fotografar a cores (fotografar a Color Run a preto-e-branco seria completamente estúpido), não teria fotografado. Já não me interessa brincar aos fotojornalistas. Agora as manifestações, comícios e eventos públicos de qualquer natureza só me interessam se participar neles ou se vir algo que seja absolutamente inesperado. Ontem mesmo passei pelo Jardim de Serralves: era a comemoração do aniversário do Museu de Arte Contemporânea, o que significava que as portas estavam abertas ao público. Nem me passou pela cabeça meter-me em mais um engarrafamento, desperdiçar gasolina à procura de lugar para estacionar e misturar-me na multidão. Tal não acrescentaria nada à maneira como quero fotografar. Provavelmente perdi algumas oportunidades interessantes, mas também já não sinto compulsão de fotografar em condições como aquelas. O que agora procuro é encontrar o meu caminho, o que exclui fotografar temas óbvios e que toda a gente fotografa. Prefiro fotografar um estendal de um bairro social a fazer fotografias do Jardim de Serralves e da Color Run que seriam idênticas – ou quase – a muitas outras que andarão por aí a circular. Eu sei que esta atitude pode trazer-me o qualificativo de bicho-do-buraco, mas é mil vezes preferível a Maria-vai-com-as-outras. Pelo menos do meu ponto de vista.

Aqui está, em muitas palavras, por que já não me interessa armar-me em fotojornalista oficioso.

M. V. M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s