Como é que se segura a câmara?

You're doing it wrong, Mr. President!
You’re doing it wrong, Mr. President!

Durante o tempo que perdi a tentar ensinar o meu imitador a fotografar, que incluiu umas quatro ou cinco incursões fotográficas no terreno, começou gradativamente a crescer em mim uma ligeira irritação pela maneira como ele segurava a câmara; como queria parecer muito fotógrafo, o sujeito nunca prescindia de usar um punho com bateria integrada na base da sua Nikon D7000, de modo que usava o cotovelo esquerdo levantado e agarrava a lente por cima. Um dia confrontei-o com esta forma errada de segurar a câmara; respondeu-me que o ensinaram assim. «E como é que faz zoom?», perguntei-lhe. Como resposta, desatou a barafustar que era por causa do punho da câmara, mas quando lhe perguntei para que precisava do punho não soube dar uma resposta coerente.

Mais tarde comecei a reparar na quantidade de pessoas que faziam exactamente o mesmo, com a mão esquerda segurando a lente pela parte lateral, ou mesmo superior – como se quisessem pendurar as suas DSLR. É uma maneira completamente errada de segurar uma câmara: por um lado, torna o acto de rodar o anel de zoom (estas pessoas não concebem a existência de lentes que não sejam zooms) mais difícil do que devia ser, obrigando a que seja a mão direita a suportar todo o peso enquanto se roda o anel e, por outro – e mais importante –, não é uma forma segura de usar a câmara.

Segurar uma câmara correctamente é importante. Há que garantir que a câmara permanece estável quando se usam tempos de exposição mais longos e usar uma posição que seja segura, para que a câmara não escorregue das mãos por acidente. Apesar de as DSLR terem punhos substanciais para a mão direita, é muito importante que o esforço de segurar a câmara seja bem distribuído: a mão direita não pode fazer toda a força, porque é necessário libertar dedos dessa mão para accionar os comandos. Quando se usa uma câmara correctamente, esta é segurada pelo polegar e pelos dedos médio, anelar e mindinho da mão direita – o indicador estará sempre posicionado sobre o botão de disparo – e pela mão esquerda, que formará uma base em que a câmara se apoiará. A fixação da câmara deve ser feita de maneira a que o polegar direito tenha liberdade para accionar os comandos que se situam no painel posterior e que o polegar e o indicador esquerdos possam rodar facilmente os anéis de focagem ou de zoom.

Deste modo, é importante que a mão esquerda segure bem a câmara, o que se faz encostando o braço ao corpo – o cotovelo nunca deve ficar levantado – e segurando a lente pela sua parte inferior, com o polegar voltado para o lado esquerdo. Se a lente for suficientemente comprida, a mão deve envolvê-la por baixo, apoiando-a e não agarrando-a; se for curta, deve ser apoiada por baixo, com a palma da mão sob o painel inferior da câmara. Esta posição tem as seguintes vantagens: os dedos da mão esquerda ficam libertos para rodar os anéis de focagem e de zoom (o que se faz com as pontas do polegar e do indicador); a posição da câmara é mais firme porque esta assenta sobre as mãos, o peso é equitativamente distribuído entre as duas mãos e, ao firmar os cotovelos junto ao corpo, forma-se uma base sólida para que não sejam transmitidos tremores, os quais prejudicam a nitidez da imagem.

Há também quem use a mão esquerda segurando a parte lateral da câmara, à semelhança de Mr. Barack Obama, o que é outro erro: quando se precisar da mão esquerda para accionar qualquer comando, a direita vai ter de segurar todo o peso, o que se repercute em instabilidade por causar stress sobre a mão direita, que vai inevitavelmente tremer – o que, por seu turno, vai com toda a probabilidade induzir movimentos que prejudicarão a nitidez da imagem.

63622953@N07_rOs erros são ainda mais notórios quando se segura a câmara na vertical, na posição dita de retrato. Há quem coloque a câmara com o botão do obturador para baixo, o que é absolutamente contra natura: as câmaras não são feitas para serem usadas dessa maneira. O movimento do indicador direito torna-se penoso, dificultando o accionamento do botão do obturador e tornando impossível o acesso a qualquer outro comando da câmara. Quando se fotografa na vertical, o botão de disparo fica para cima, de maneira a que o dedo indicador direito não fique sob tensão, e a mão esquerda segura a lente pela parte inferior, com a palma da mão apoiando o flanco esquerdo da câmara e o cotovelo apoiado no tronco.

Isto é válido para as DSLR, mas também se aplica às CSC, ou mirrorless. Estas também beneficiam do melhor apoio possível, especialmente se atendermos a que muitas câmaras deste último tipo não têm visor (o qual constitui um ponto de apoio suplementar) e a maioria não tem um punho para a apoiar com a mão direita. Neste caso é necessária ainda mais firmeza e segurança: mesmo se a visualização é feita pelo ecrã, é importante segurar a câmara correctamente.

M. V. M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s