Fotografar fogo de artifício: uma adenda muito pertinente

Img - 011BO leitor “navd” submeteu um comentário ao texto Fotografar Fogo de Artifício que passo, com a devida vénia, a transcrever:

«Para a próxima teste deixar em modo bulb e deixe o obturador aberto durante bem mais tempo, de modo a apanhar 2,3, 4 foguetes.. mas vá sempre tapando a lente “entre foguetes” de modo a não deixar entrar luz. A própria tampa da lente pode servir, tendo cuidado para nao introduzir “camera shake”, o pano preto também faz o serviço.»

Esta é uma achega importante. Quando adquiri o meu cabo disparador – sem o qual não me teria sido possível fazer a experiência de fotografar fogo de artifício –, estávamos nas vésperas do S. Pedro da Afurada, festividade conhecida pelo seu foguetório; eu decidira experimentar aquele tipo de fotografia. Tive uma pequena conversa com Raúl Sá Dantas, da Câmaras & Companhia, na qual lhe contei os meus propósitos.

Pois bem: R. S. D., a quem devo muitos dos truques da fotografia convencional que conheço, deu-me exactamente o mesmo conselho que o leitor enunciou no seu comentário, com a parte de tapar a lente com a mão incluída. O que, quanto a mim, é suficiente para ter esta técnica como uma prática comum e válida em fotografia. A técnica descrita no comentário de “navd” permitirá capturar a explosão de diversos foguetes, obtendo assim uma sobreposição que pode ser extremamente interessante.

Ora, se é assim, poderão perguntar por que não aludi a este truque no texto inicial. Pois bem, a explicação é extremamente simples: eu não escrevo sobre técnicas que não tenha experimentado. No caso do foguetório de S. Pedro, não a experimentei. Talvez pela incerteza quanto aos resultados – não por causa da técnica em si me parecer falível, mas pela minha possível inabilidade para a aplicar –, ou talvez porque não queria perder muito do filme de Michael Haneke. Fica para a próxima.

Escrever sobre técnicas que não experimentei seria completamente avesso à minha natureza. Nunca o fiz porque gosto de ter certezas quando escrevo. Estas certezas só me surgem quando os resultados, além de comprovados pela experiência, são repetíveis. Escrever sobre o que não sei seria disparatado. Far-me-ia sentir como uma espécie de charlatão. De uma maneira geral, quando me refiro às coisas da técnica aqui no Número f/, é para descrever a minha aprendizagem, a qual tem de ser validada pelos resultados obtidos; ora, neste caso não houve aprendizagem nenhuma porque não empreguei aquela técnica. Contudo, parece-me tão promissora que vou experimentá-la na primeira oportunidade que me surgir – o que, provavelmente, só acontecerá na passagem de ano.

M. V. M

Anúncios

2 thoughts on “Fotografar fogo de artifício: uma adenda muito pertinente”

  1. Acho que já o vi bem mais longe de experimentar a fotografia de estrelas. Para quando a experiência? Vai adorar. Vai ficar viciado. Digo eu.

    Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s