Glossário de fotografia, Parte 1: de A a D

Ciente da importância do conhecimento da terminologia empregue em fotografia, o Número f/ oferece aos seus leitores, a partir de hoje, um pequeno glossário com os termos mais frequentemente empregues. O autor do blogue está ciente da imensidão deste ambicioso empreendimento a que se propôs e do labor que ele implica, pelo que o leitor não deve esperar que esta rubrica seja publicada com regularidade. É um projecto à la longue, que exigirá tanta paciência do M. V. M. como do leitor. Estou ciente, contudo, da extrema utilidade deste glossário para os amadores da fotografia, sendo para a administração do Número f/ um verdadeiro imperativo fornecer estes conhecimentos ao público em geral. Nesta primeira parte serão publicados os termos de A a D; outros se seguirão. Se possível. E se entretanto não me lembrar de outra coisa mais importante.

A

Aberração: divergência entre a imagem captada pela câmara e a percepção visual do objecto; pode ser geométrica (v. distorção) ou cromática. Pode também referir-se a outros fenómenos, como concursos televisivos ou Miguel Relvas.

Abertura: o buraco mais discutido na Internet; orifício que controla a quantidade de luz que entra na câmara através da lente, que os geeks conseguiram transformar numa coisa parecida com a física dos quarks. Regula-se através de um aro na lente, de um comando rotativo na câmara ou, no caso das Canon 1100D, não se regula por ser demasiado complicado para os utentes desta câmara.

Adaptador: acessório que permite a montagem de lentes de encaixe diferente do da baioneta da câmara; objecto que permite a alguns charlatães vender um pedaço de metal e vidro que custaria €10 por €500.

APS: Uma tentativa de piorar a qualidade de imagem através da redução da área sensível à luz. Não teve sucesso com negativos, mas…

APS-C: Uma tentativa, desta vez muito bem sucedida, de piorar a qualidade de imagem através da redução da área sensível à luz (sensor). Não pegou com os negativos, mas foi um sucesso com as câmaras digitais.

ASA: valor da sensibilidade da película que só é usado por pessoas com mais de 80 anos de idade. Hoje denomina-se ISO, mas o tradutor do Google chama-lhe WING, o que causa alguma confusão e perplexidade entre os leitores anglófonos do Número f/.

Astigmatismo: Doença dos olhos e defeito das lentes. No primeiro caso resolve-se com próteses oculares; no segundo, deitando fora a lente e comprando outra.

B

Baioneta: aro metálico à volta de um buraco, que serve para encaixar a lente. Ou então uma lâmina de metal que encaixa no cano de uma carabina, pretensamente inventada por Napoleão Bonaparte antes da invenção da fotografia. A relação entre ambos é algo que me escapa por completo.

Bateria: conjunto de tambores e címbalos usado como instrumento musical de percussão. Ou então um dispositivo de armazenamento de energia eléctrica que se enfia num buraco da câmara. (Os buracos são extremamente abundantes na fotografia.)

Blur: Conjunto musical inglês extremamente popular que ajudou a definir o estilo conhecido como Britpop, composto por Damon Albarn, Dave Rowntree, Alex James e Graham Coxon. Conhecidos pelos álbuns Modern Life Is Rubbish, Parklife e The Great Escape.

Bulb: Bolbo; lâmpada (ing. light bulb); na fotografia é uma forma de magia negra pela qual o fotógrafo se entretém a fazer exposições que podem durar várias horas sem morrer de aborrecimento.

C

Câmara: Organismo público a que é atribuída a competência de administrar um município; invólucro estanque à luz onde se armazenam coisas complicadas como sensores e obturadores; assembleia onde reúnem os representantes eleitos; corporação.

Cartão cinzento: artifício, inventado por alguém que não tinha nada melhor que fazer, para tentar enganar o fotómetro (v. fotómetro).

Cartão de memória: dispositivo de armazenamento de ficheiros que se insere num buraco da câmara.

Compacta (câmara): Tentativa, extremamente bem sucedida, de tornar a fotografia acessível a multidões de patetas e deteriorar a qualidade da imagem a níveis intoleráveis. Ultrapassada pelos telemóveis no Século XXI.

Compensação de exposição: comando que se usa nos modos de exposição automáticos para tentar enganar o fotómetro (v. fotómetro)

Cortina: Peça de tecido utilizada para impedir ou atenuar a passagem de luz através das janelas. Também designada reposteiro. Também se usa nas máquinas fotográficas para permitir a entrada momentânea de luz na área de captação da imagem, mas neste caso raramente é decorada com bordados.

D

Diafragma: músculo usado para controlar a respiração, sendo o principal responsável pelo fenómeno dos soluços; dispositivo anticoncepcional que se insere num buraco; dispositivo montado numa lente, composto por várias lâminas, para aumentar ou diminuir o diâmetro do buraco por onde passa a luz (v. Abertura).

Digital: catástrofe de proporções apocalípticas que atingiu a fotografia na última década do Século XX.

DIN: Norma alemã que já serviu para designar a sensibilidade do filme ou sensor. Ainda bem que não pegou.

Disparo: acto de disparar.

Distância focal: Distância percorrida pela luz no interior da lente até focar; distância entre duas focas no Círculo Polar Árctico. Ou no jardim zoológico de Lisboa. Ou em qualquer lado onde existam focas.

Distorção: Fenómeno óptico pelo qual um objecto é percebido de uma forma que diverge da percepção visual, fazendo com que a chaminé de uma fábrica pareça sofrer de cifose.

DSLR: Tentativa bem sucedida de transformar máquinas de enorme beleza em algo semelhante a blocos de alcatrão deixados a derreter sob uma fonte intensa de calor.

M. V. M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s