Eu, Stimpson, os Legos e a fotografia

TS590x442

Quando eu era chavalo, a melhor prenda que me podiam dar era construções Lego. Adorava aquelas peças minúsculas, que encaixavam com uma precisão da qual nenhuma das imitações (e. g. Playmobil) conseguia sequer aproximar-se.

Gostava, também, dos bonequinhos que vinham em algumas construções. Achava-os uma ternura. (N. b. a partir de agora este texto vai encher-se de palavras que, digamos assim, não correspondem aos estereótipos da linguagem máscula: vous voilà prevenus…). Estes bonecos não existiam quando comecei a receber construções Lego (ou, se existiam, era apenas nas construções mais caras), mas quando comecei a ter idade para me desinteressar de brinquedos já eram largamente difundidos. De modo que a simples contemplação daqueles bonecos amarelos sorridentes e minúsculos traz-me muito boas recordações: vejo-os com uma ternura inexplicável, trazem-me à memória tempos em que tudo era simples e descontraído.

E, como os leitores mais atentos sabem, gosto muito de fotografia. Especialmente desde que comecei a fotografar, mas já antes gostava de apreciar fotografias. A fotografia é um fenómeno que acompanho com bastante atenção.

Se, por esta altura, o leitor está completamente baralhado, não vislumbrando qual a relação entre os Legos e a fotografia, aqui vai a explicação para esta associação de duas coisas aparentemente tão díspares: Mike Stimpson, um programador de jogos de vídeo, resolveu recriar fotografias célebres substituindo as figuras humanas por bonecos Lego. Aliás, foi mais longe e usou peças e construções Lego como cenário sempre que pôde. Baseou-se em fotografias de Henri Cartier-Bresson, Lewis Hine, Philippe Halsman ou Alfred Eisenstaedt. O resultado? Uma delícia!

TS590x442

Bem, pelo menos para mim. Os mais fundamentalistas poderão pensar que isto é uma paródia gratuita, um amesquinhamento de obras universais, um sacrilégio, um anátema. Eu, que normalmente até sou muito pouco tolerante quando se trata de corruptelas de fotografias históricas (aquela senhora que decidiu colorir algumas das fotografias mais importantes de sempre devia ser algemada a um poste de alta tensão e chicoteada), achei aquelas fotografias uma ternura. No fundo, se pensarmos bem, são uma homenagem cheia de humor aos grandes fotógrafos do Século XX. No meu caso, estabelecem uma ponte entre dois fenómenos que me deixaram (deixam) marcas. E, acima de tudo, demonstram imaginação e humor. São adoráveis!

Podem ver mais destas fotografias deliciosas aqui.

M. V. M.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s